Simvastatin PGx

Teste de ADN para avaliar o metabolismo da sinvastatina
Simvastatin PGx é um teste de ADN farmacogenética que fornece conhecimentos sobre o metabolismo da simvastatina de um paciente para otimizar estratégias de seleção de dose.

Simvastatina

A sinvastatina √© uma das estatinas mais utilizadas para a redu√ß√£o do colesterol no mundo. A dose inadequada de medicamentos pode levar a efeitos secund√°rios adversos e causar problemas de sa√ļde relacionados com os m√ļsculos, miopatia, em alguns pacientes.

As rea√ß√Ķes adversas dos medicamentos parecem ser dose dependentes, especialmente quando as estatinas s√£o administradas em doses mais elevadas e em conjunto com certos outros medicamentos.

√Č uma das estatinas mais utilizadas para a redu√ß√£o do colesterol.

Pode causar efeitos adversos relacionados com os m√ļsculos em alguns pacientes.

A sua dosagem influencia estas rea√ß√Ķes adversas aos medicamentos.

Simvastatin Farmacogenética

O genótipo de um indivíduo é um determinante importante da resposta aos medicamentos e da variabilidade das doses.

As variantes genéticas SLCO1B1 estão associadas a um risco acrescido de eventos adversos compostos em doentes com hipercolesterolemia quando tratados com estatinas (atorvastatina, pravastatina ou sinvastatina). Este estudo farmacogenético define a terapia da dose ideal de medicamentos ou recomenda uma terapia alternativa com estatinas baseada no genótipo SLCO1B1.

Benefícios dos testes genéticos

O teste farmacogenético inclui o estudo de 3 variantes genéticas no gene SLCO1B1 associado ao risco de miopatia. Em doentes que tomam estatinas, esta informação melhora a aderência ao tratamento e a eficácia.

Avaliando as variantes genéticas do SLCO1B1, é possível:

  • avaliar a resposta do paciente √† sinvastatina
  • prescrever uma dose adequada
  • evitar os efeitos secund√°rios adversos de uma dosagem n√£o √≥ptima de simvastatina

Painel Genético

O teste genético inclui a avaliação de 3 variantes genéticas no gene SLCO1B1. As variantes selecionadas foram aprovadas pela FDA e também pelo International Warfarin Pharmacogenomics Consortium para orientar a terapia.

Diretrizes internacionais E ANOTA√á√ēES DE R√ďTULOS DE f√°rmacos

Os testes gen√©ticos s√£o recomendados por v√°rias organiza√ß√Ķes internacionais de renome, tais como a Food and Drug Administration (FDA) e o Clinical Pharmacogenetics Implementation Consortium (CPIC)

A fim de reduzir o risco de lesão muscular, a FDA recomenda contra 80 mg de dosagem diária de sinvastatina em novos pacientes e também naqueles que já tomam doses mais baixas do medicamento. De acordo com a FDA, o risco de miopatia é maior durante o primeiro ano de tratamento, e aproximadamente 60% dos casos estão associados a variantes genéticas SLCO1B1. Estas estão fortemente associadas a um risco acrescido de miopatia induzida por estatinas. A genotipagem destas variantes pode ajudar a alcançar os benefícios da terapia com estatina de forma mais segura e eficaz.

O Clinical Pharmacogenetics Implementation Consortium (CPIC), que desenvolve diretrizes de medicamentos gen√©ticos revistas por pares com base em novos desenvolvimentos no campo, estabeleceu v√°rias recomenda√ß√Ķes sobre a dosagem de sinvastatina com base no gen√≥tipo SLCO1B1.

Tempo de retorno

10 dias √ļteis

Estudos científicos

[1] Brunham et al., The Pharmacogenomics Journal J 12, 233‚Äď237 (2012)
[2] Carr et al., Clinical Pharmacology and Therapeutics 94, 695‚Äď701 (2013)
[3] Ramsey et al., Clinical Pharmacology and Therapeutics 96, 423‚Äď428 (2014)
[4] Voora et al., Journal of the American College of Cardiology 54, 1609‚Äď1616 (2009)